30 de agosto de 2011

29 de agosto de 2011

EVERYTHING


Raiva que brota do nada.

[ 500 Days fo Summer ]

Meia luz

Duvidando da minha lucidez. Vão ser longos minutos antes de dormir.


A mais perfeita queda

Assistindo o mundo acabar pela minha janela. E quem dera que ele terminasse de uma vez, ao invés de ficar sumindo aos pouquinhos, doendo em pedaços. "A mais perfeita queda" eu disse... Agora é a hora de juntar os pedaços, levantar e seguir - o que não vai ajudar muito se for pra continuar me sentindo incompleta.


Olho pro calendário e me assusto: como posso pensar na mesma coisa por tanto tempo?

O sono e o fuso horário

Tenho algo pra lembrar do cheiro, pra acalmar os sentidos antes de dormir. Lembranças reais e ao mesmo tempo não.
Pra nunca me esquecer de um período que eu, inocentemente, chamei de "feliz".



Distâncias se medem mais pelo que tem dentro da gente do que pelos metros quadrados lá fora. Eu sei que aí já é tarde enquanto aqui eu ainda nem acordei, e a gente só percebe as coisas quando, no outro, o tempo já se esgotou...

28 de agosto de 2011

Tormenta

Tormenta e imprevisão, o que será do meu dia? Deixo estar, deixo ficar e deixo ir... Tento mudar e confundir que nem sempre tudo foi assim. Que o sentido horário não nos manteve presos em jaulas onde os ponteiros são as grades, trancando nossas mentes, deixando nossos corpos vagos e sós.
Reverter o sentido, abandonar os velhos moldes não é tarefa fácil de se fazer sozinho, ainda mais quando “todo o resto” que você impulsiona deseja sempre ir pelo lado comum... pelo caminho mais fácil...

E quão felizes são os inocentes, que dormem e acordam ignorantes no seu propósito, que menosprezam a tempestade que vem, que desconhecem o fim abaixo de seus pés.  


25 de agosto de 2011

Mudar

Vida. Cidade. Caneta. Pele. Sorrir.
Transformar tudo que se vê.




Imagens do filme "500 Days of Summer" (2009)

!



I'm not changing the world, i know. I'm just doing what i think is right, and when the laws change so will the way we pay our taxes. I'm just doing what i think is right. 

[ Order Form - Shook Ones ]

24 de agosto de 2011

Queria eu, então

Não queira... Não queira...   Não queira... Não queira... Não queira...   Não queira... Não queira... Não queira... Não queira...   Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira...   Não queira...   Não queira... Não queira...   Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira...   Não queira... Não queira... Não queira...   Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira...   Não queira... Não queira... Não queira... Não queira...   Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira...   Não queira... Não queira...   Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira...   Não queira...   Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira...   Não queira... Não queira...   Não queira... Não queira... Não queira... Não queira...   Não queira... Não queira...   Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira... Não queira...   Não queira...

Verão de inverno

Eu amo todos meus problemas e ainda vou mais além: consigo até rir de mim mesmo...
e acho que respiro bem.

[ Duna - Fullheart ]

22 de agosto de 2011

Mercúrio

O meu maior defeito é dar valor ao momentâneo, o que acaba, o que tem risco, o que me dá medo me impulsiona mais. Planeta Mercúrio que o diga, me deixa tão perto do Sol a ponto de tê-lo e não querê-lo, não tê-lo e morrer de frio.

E se eu ando assim tão rápido, poucas palavras ou quase nenhuma. Saiba que vai bastar apenas uma faísca. Saiba que dentro de mim o pouco tempo me fez escurecer as vistas, todos os dias que eu já te queimei e te fiz cinzas...

Amanhã vou me arrepender, eu sei. E volto a circundar o Sol.




21 de agosto de 2011

O caminho que a neve esconde até a próxima estação

Nunca saber se o caminho é certo.
Conviver com a incerteza do reencontro.
Talvez não achar o que tanto se procura.
Talvez não ter o que nunca se teve.
Percerber que há coisas que são nossas e não nos pertencem.
Perder aquilo que tanto se estima.
Sentir medo pelo caminho novo.
Sentir agonia por traçar o mesmo caminho.
Sentir-se comum, sentir-se estranha.

Entender que o meu final é o começo pra alguém e que provavelmente eu também comece o que alguém deixou de lado.

Afinal, há sim como voltar no caminho, mas pode ser que não tenha mais ninguém lá.


Imagem - cena do filme O Iluminado [The Shining, 1980]

20 de agosto de 2011

Voltar e avançar


Ouço "Miss Mistress" do Across voltando de algum lugar e um milhão de coisas passam pela minha cabeça.

18 de agosto de 2011

Strike a chord and change your life


This is not a product,
We're not in a competition,
Waiting for the right time,
Strike a chord and change your life. 

[ Lilacs & Lolita - From Autumn To Ashes ]

16 de agosto de 2011

Perto de tão longe, aqui

O fim de noite foi tão difícil... então eu penso em como queria ter ele aqui só pra poder dizer "me faz esquecer toda essa gente, me diz que viver assim é normal". Queria que essa pequena distância não fosse tão espaçosa e que esse infinito não me deixasse assim, com tanta vontade de ver por perto.
Já me desculpo por insistir, como agora por exemplo. É que as vezes, só isso me faz sentir ter um coração, sentir que ainda vivo. Tê-lo em frações que guardo na parte mais escura e menos bonita dentro de mim, revendo os dias como se as memórias não se desgastassem... guardo nossas poucas melhores lembranças pra esquecer de fins de noite como esse.


O sonho que se tem

Sonhei que dizia meu nome, não em uma lista nem de forma magoada, não pra mim e nem o nome de alguém parecido. Uma sensação de ainda ser alguém, de que por alguma forma existo.

E acordei.

10 de agosto de 2011

Sentir menos, pensar de outra forma



Deixar os velhos sonhos pra trás, tirar o peso de todos os dias, andar mais leve mesmo que seja ignorando verdades... que por tanto tempo se acredita e assombram os mesmos sonhos, os mesmos sonhos todos os dias. Não criar expectativas, sentir as mesmas dores cruas, sem anestesia, mas essa é a parte mais difícil...

Garotas são bobas e sempre acreditam que "um dia" haverá "um dia". Nada mais que planos de uma pessoa só.

"But inside, you'll always feel the same, even when you wake up.
Even if you wake up." [ Harold T. Wilkins - Fanfarlo ]


8 de agosto de 2011

Sunnyland

With heat commence,why would you just want to ride the fence.
Your taste is luke warm and with it you lost all of your charm...


What about the things we had.
What about the things you said.
What about the way you look laying in my bed...

[ Sunnyland - Across Five Aprils ]


6 de agosto de 2011

Continuar de onde outros desistem

A questão é: vale se preocupar com que os outros pensam?
Fazer algo por coação é tão ruim quanto não o fazer por censura.

Não há crítica que lhe faça parar quando se acredita no que faz e sente...


E nunca fariamos nada se soubessemos, antecipadamente, a reação das pessoas.

5 de agosto de 2011

Uma música na cabeça

Entre avenidas e asfalto, semáforos, carros parados... tanta gente nesse bar, nem sei como eu vim parar aqui, pra quando chegar não encontrar...
E se esse for o nosso destino, e se o propósito for me perder e você não me achar? Se você esbarrar com alguém que não sou eu, vai contar dos nossos sonhos?
Essa mesa já ficou pequena, tanta coisa eu pensei desde que a música começou a tocar. E se eu quiser? E se eu for ai te buscar? Vou encontrar algo mais que um “olá” e uma despedida? Seria bom te conhecer, saber mais da sua vida, o que faz, o que ouve, onde mora... e quem sabe assim, você estar do meu lado agora.


 

3 de agosto de 2011

Sem barreiras

Hoje, não ontem nem amanhã, mas hoje. Tenho um desejo simples, um desejo que não magoa, que não compromete, que não cobra e que não enfraquece. Um simples aproximar, um beijo no pescoço e um abraço pra nos proteger do frio.


1 de agosto de 2011

Palavras vagas de domingo/segunda

Mais leve do que durante a semana, assim vai acabar o meu domingo. Isso é bom.
Nesse exato momento queria ter alguém aqui, não exatamente alguém que eu conheça, com um nome ou uma personalidade já familiar. Queria alguém que representasse tudo que eu quis e tentei ser durante tantos anos. Alguém com quem conversar sem pensar na cobrança, nas grades, alguém que nem precisasse se importar muito com tudo que penso... mas caso se importasse é por estar sendo realmente sincero e não apenas pragmático.
Eu tentei por muito tempo ouvir as pessoas e entrar no mundo delas pra poderem conhecer o meu. A maioria das tentativas (poderia até dizer todas) não deram certo. Já busquei muito o oposto: o romance, o desleixo, a irrealidade, a carência e vários outros fatores que eu não sou, me magoando pelo simples fato de fazer parte de mundos que não pertenço. Agora eu estou naquele período do ano em que necessito fazer parte de algum lugar. E é aí tudo se altera: não mais desvendar mundos nem aceitar rotinas opostas.
Viver no meu lugar até que algo que me encante os olhos me convide pra entrar.